MDP e MDF: Entenda a diferença entre os materiais

MDP ou MDF: qual o melhor material para móveis?

A madeira é a matéria prima principal de móveis por todo canto do Brasil. Mesmo com os acabamentos em vidro e metal, há sempre peças de madeira e a dúvida em relação a qual o tipo de madeira mais indicada para móveis resistentes e bem acabados é inevitável.

Nessa hora, muitas vezes, o consumidor fica à mercê das informações de vendedores que podem ser mal intencionados e acabar passando informações equivocadas apenas para completar uma venda. Mas com a internet e o fácil acesso às informações, é possível entender direitinho as características entre as madeiras mais comuns na fabricação de móveis modernos: o MDP e o MDF.

Afinal o que é MDF?

A sigla MDF vem do inglês e significa “Medium Density Fiberboard” ou, em português, Painel de Fibra de Densidade Média. Com isso, o painel MDF se constitui em fibras de madeira e resina sintética resultando em um material bem uniforme. 

No nosso país, o MDF é comercializado em duas formas: o natural e o com revestimento, e é utilizado em diversos ramos, como o artesanato, construção civil, decoração e, é claro, na construção de móveis.

As opções revestidas são comumente feitas de um material chamado BP, tratado com tecnologias que entregam mais resistência ao móvel em questão. As cores são as mais diversas e podem inclusive simular as ranhuras de madeiras famosas, como o mogno ou jacarandá. 

E o que é MDP?

Diferente do que se acredita, o MDP não é a mesma coisa que o compensado, apesar de sua técnica de construção ser bem similar. 

A sigla de “Medium Density Particleboard”, em português, Painel de Partículas de Baixa Densidade, leva o nome por ser construída com 3 camadas de partículas de madeiras unidas com alta temperatura e pressão, sendo a camada do meio com partículas mais grossas e as duas exteriores mais finas.  

Como dito anteriormente, o método é bem similar à construção do compensado de madeira, porém, no MDP, o método foi evoluído e alcança maior durabilidade e resistência, entregando estabilidade, funcionando muito bem com cortes retos e servindo de estrutura para móveis. 

Sua utilização se dá muito em portas de armários, prateleiras, gavetas e em painéis de TV.

A diferença entre as madeiras

A grande diferença entre o MDF e o MDP é a sua estrutura interna, sendo o primeiro feito de fibras e o segundo de partículas. 

Essa composição torna o MDF mais maleável, permitindo manipulação sem estragar o material. Essa característica permite que o material seja utilizado em artesanato e móveis com curvas, contornos e outros acabamentos mais elaborados. 

Já no caso do MDP, sua estrutura oferece muito mais resistência do que maleabilidade. Dessa forma, não funciona tão bem em curvas, mas é uma excelente opção para as superfícies planas e vigas estruturais dos móveis, como prateleiras, portas, painéis, gavetas e muito mais.

Qual o melhor: MDF ou MDP?

A grande verdade é que não há um material melhor ou pior, mas sim materiais com características específicas para cada tipo de aplicação. É necessário avaliar o tipo de móvel e, principalmente, o local em que ele será utilizado.

Umidade

Quando pensamos em ambientes abertos, por exemplo, o MDP tem mais vantagem por oferecer maior resistência à umidade. O que acontece é que, por ser composto por partículas de madeira e ser menos denso do que o MDF, ao absorver a umidade, o MDP tem espaço para “inchar” sem comprometer a estrutura

No caso do MDF, a umidade irá alterar a forma do móvel com maior agilidade, devido à camada maciça de fibra de madeira que compõe a estrutura, oferecendo menos espaço para inchar e deformando o exterior, podendo inclusive afetar a estrutura. 

Vale ainda ressaltar que há materiais mais resistentes contra as alterações de clima, mas que custam bem mais caro e, muitas vezes, requerem maior cuidado com produtos e manutenção. 

Peso

É comum que os painéis de MDP suportem uma carga maior do que os painéis de MDF. Por isso o MDP é o material escolhido para fundos de gavetas, prateleiras e os próprios painéis de TV que precisam suportar um peso maior. 

Pintura

Outro fator importante de escolha é pensar no acabamento em pintura do objeto. Enquanto o MDP permite um acabamento mais refinado, dando a sensação de uma pintura sofisticada e bonita por conta do seu potencial de absorção, o MDF é mais indicado para pinturas simples, gerando até uma economia de tinta devido à baixa absorção. 

As pinturas lisas ficam muito mais bonitas em MDF e permitem um acabamento mais variado entre o fosco e o brilho.

Durabilidade

Já que o MDP é construído para oferecer maior resistência, ele também tem maior durabilidade, correto? Bom, por incrível que pareça, não é bem assim. Tanto o MDP quanto o MDF têm durabilidade bastante similar, diferenciando apenas no cuidado correto com cada uma das opções. 

Se você manter o móvel dentro de suas capacidades técnicas apresentadas pelo fabricante, não há motivo para se preocupar com o material de sua construção.

Com isso, não é possível definir qual o material mais indicado para a compra de móveis. Tudo depende do seu uso e como você deseja a sua decoração. 

A grande maioria dos problemas com móveis podem ser evitados com cuidado e um bom planejamento. Se você compra o produto sem a intenção de fazer modificações nele, não há necessidade de se preocupar com os materiais utilizados. 

É importante ainda ficar atento à quantidade de peso dos objetos que serão colocados no móvel. Se a carga for superior ao indicado no manual, o móvel irá sim apresentar desgaste mais rápido. 

Agora que você já sabe todas as diferenças entre o MDF e o MDP, compartilhe a informação com os amigos e não deixe de se planejar para comprar o seu próximo móvel. Até a próxima!

Fechar